Mossoró 10 de Agosto de 2020 19:14h
Mundo

Conselheiro de Segurança dos EUA renuncia após polêmica com Rússia

General aposentado Michael Flynn teria discutido sanções contra Moscou com o embaixador russo antes da posse de Trump

14 de Fevereiro de 2017 - 06:52hs

WASHINGTON – O conselheiro de Segurança Nacional do governo dos Estados Unidos, Michael Flynn, pediu demissão na noite desta segunda-feira, 13, após ter dado declarações conflituosas acerca de seus contatos com autoridades russas.

A renúncia de Flynn é a primeira perda no primeiro escalão da gestão Donald Trump pouco menos de um mês de mandato.

Os problemas de Flynn começaram com telefonemas, SMS e encontros entre ele e o embaixador russo, Sergei Kisliak, nas semanas que antecederam a posse de Trump. Os contatos eram conhecidos, mas ganharam maior gravidade na sexta-feira, 10, quando o Washington Post, citando fontes com conhecimento do caso, que em pelo menos um telefonema interceptado por agências de segurança — que monitoravam o embaixador –, Flynn havia abordado as sanções contra a Rússia aprovadas nos últimos dois anos pelos EUA.

Flynn disse inicialmente a assessores de Trump que não havia discutido sanções à Rússia com o embaixador do país no período de transição de governo.

O vice-presidente Mike Pence, aparentemente baseado em informações prestadas por Flynn, defendeu o assessor publicamente. Mais tarde, no entanto, Flynn afirmou que o tema pode ter surgido nas conversas com o representante russo.

O assunto era manchete das principais emissoras de TV americanas nesta noite. Os canais informam que David Petraeus, ex-diretor da CIA, é um dos cotados a assumir o cargo, que é ocupado interinamente pelo ex-general Keith Kellogg. / AP e REUTERS

Faça seu comentário

Canal Acontece RN

VT institucional - Portal Acontece