Mossoró 13 de Agosto de 2020 17:17h
Geral

Em 2019, 635 servidores do estado já se aposentaram no RN

Os inativos compõem 51,2% do extrato de pagamentos do total da folha, enquanto os ativos, contam 48,7%, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Administração.

19 de Julho de 2019 - 07:20hs

Imagem relacionada

O Rio Grande do Norte tem mais de 106 mil servidores entre ativos e inativos, e um enorme desequilíbrio na folha de pagamento. Somente este ano, entre janeiro e julho, foi registrada uma diminuição de 1,22% de vínculos ativos, 635 servidores a menos na ativa e 624 registros a mais na lista de inativos (entre aposentados e pensionistas). Os inativos compõem 51,2% do extrato de pagamentos do total da folha, enquanto os ativos, contam 48,7%, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Administração.

No Instituto de Previdência dos Servidores Estaduais (Ipern) até esta quinta-feira, 18, mais 525 processos estão em tramitação para aposentadorias da administração direta e indireta. Nas secretarias, é alto o número de requisições de documentos para dar entrada nas aposentadorias. Somente na Educação e na Saúde, duas pastas com grande número de servidores, há 1.965 pessoas que solicitaram documentação de olho nas aposentadorias: 1.500 na Secretaria de Educação e 465 na Secretaria de Saúde.

No primeiro mês deste ano, o valor da folha de pagamento do Executivo estadual foi de R$ 479,9 milhões e em julho, R$ 489,5 milhões. Somente a folha de inativos passou de R$ 253,16 milhões para R$ 263,08 milhões.

Para remunerar os inativos, o Governo do Estado em janeiro despendeu R$ 253,1 milhões com inativos e R$ 226,7 milhões com ativos. Em julho, a diferença pró-inativos seguiu a tendência: R$ 263,08 milhões e R$ 226,42 milhões para os ativos.

A secretária estadual de Administração, Virgínia Ferreira reconhece o desequilíbrio entre o número de servidores na composição da previdência estadual e os que ainda estão trabalhando, ou seja, na ativa.

Os números previdenciários são desfavoráveis na folha de pagamento do Estado mas a secretária disse que o atual governo conseguiu reduzir o ritmo do volume dos servidores ativos que estão caindo para a inatividade.

A situação da previdência, retrucou a secretária, chegou ao ponto de desequilíbrio porque no passado não houve planejamento na área de recursos humanos. Ela disse que espera sanar a situação com investimentos em uma política de recursos humanos para o Estado.

O gestor de pessoas da Secretaria, Luís Renato, complementou que vários fatores contribuíram para o desequilíbrio. Em janeiro de 2014, o RN tinha 60 mil servidores ativos e 40 mil inativos, comparou. Quando se começou a discutir a reforma da previdência, esse número se inverteu e em um ano, 15 mil servidores se aposentaram no Estado. Segundo ele, nada foi feito para que os servidores não se aposentassem. Faltou incentivo para aproveitar um maior tempo de serviço.

Tribuna do Norte

Faça seu comentário

Canal Acontece RN

VT institucional - Portal Acontece