Mossoró 13 de Dezembro de 2019 14:26h
Geral

Porto de Natal retoma exportações

Mais de 3,3 toneladas de cocaína foram encontradas em meio a frutas em fevereiro. Codern garante aperfeiçoamento dos critérios na segurança no terminal.

09 de Abril de 2019 - 12:08hs

Navio da CMA-CGM atracou no Porto de Natal no sábado passado (6) — Foto: Divulgação

O Porto de Natal retomou as exportações de frutas para a Europa após mais de um mês de paralisação. As atividades voltaram à normalidade no sábado passado (6), quando o navio Marfret Guyane atracou no terminal da capital potiguar.

A empresa francesa CMA-CGM, única a fazer esse transporte entre Natal e a Europa, havia anunciado a suspensão das operações no dia 21 de fevereiro. A paralisação se deu por conta da apreensão, por parte da Polícia Federal, de mais de 3,3 toneladas de cocaína dentro de contêineres da empresa nos dias 12 e 13 de fevereiro.

No dia 21 de março, um mês após o anúncio da pausa, a empresa confirmou que retornaria a fazer as exportações para a Europa partindo do Porto de Natal. A chegada do primeiro navio estava marcado exatamente para o dia 6 de abril, o que se concretizou.

Ao todo, 326 contêineres foram movimentados no Porto de Natal do sábado passado até esta segunda-feira (8). Segundo a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), houve aperfeiçoamento dos critérios na segurança, desde o acesso de pessoas e das carretas ao monitoramento ampliado das câmeras de segurança.

A Codern garante que até novembro executará um plano de ação com a implantação de vários itens de segurança, quando ocorrerá uma vistoria. A diretoria da Companhia espera recuperar a certificação do Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias.

Na época da suspensão, os exportadores do estado alegaram que um dos motivos para a decisão por parte da empresa seria a ausência de uma máquina de escâner no terminal, o que dificultaria a implantação das drogas em meio às cargas. A estrutura custaria cerca de R$ 11 milhões.

Segundo a Codern, cerca de 43 mil toneladas de frutas são embarcadas, por mês, no terminal. Somente os melões foram responsáveis por 53% da exportações estaduais, em janeiro deste ano, com US$ 23,6 milhões, conforme dados do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

O diretor-presidente da CODERN, Almirante Elis Treidler Öberg, reafirma a importância desse retorno da CMA CGM: “É uma empresa de renome internacional, com um papel estratégico para a economia deste estado por transportar frutas a partir daqui para a Europa. Nós estaremos permanentemente dialogando com a empresa objetivando a permanência das operações”.

Ao todo, 326 contêineres foram movimentados no Porto de Natal de sábado até esta segunda — Foto: Divulgação

Faça seu comentário

Canal Acontece RN

VT institucional - Portal Acontece