Mossoró 22 de Maio de 2018 04:59h
Educação

Profissionais estaduais da Educação deflagram greve

Decisão foi anunciada em Natal, durante assembleia, na manhã desta sexta-feira, 16; em Mossoró, categoria decidirá, no próximo dia 23, se acompanhará movimento grevista

16 de Março de 2018 - 14:20hs

Crédito da foto: Sinte-RN

Os profissionais estaduais da educação deflagraram greve por tempo indeterminado, na manhã desta sexta-feira, 16, após assembleia da categoria no Clube Assen, em Natal. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte-RN) atribui a decisão a um conjunto de fatores, mas em especial ao não cumprimento do piso nacional do magistério pelo Governo do Estado.

Em Mossoró, a expectativa do sindicato é que a greve seja ratificada em assembleia, na próxima sexta-feira, 23. A reunião da categoria será realizada, às 8h, na Estação das Artes Elizeu Ventania. De acordo com o coordenador geral do Sinte-RN, Rômulo Arnaud, a previsão é que, na oportunidade, também seja elaborado um calendário de atividades para o movimento grevista.

Rômulo explica que o desencadeamento da greve em Natal é motivado por um conjunto de fatores que foram recentemente apresentados, por meio de pauta, ao Executivo Estadual.

“Temos solicitado ao governo melhorias nas escolas. Ontem [quinta-feira, 15 de março], por exemplo, alunos do Abel Coelho protestaram contra a falta de estrutura da escola. Além disso, também cobramos o Estado pela falta de professores; por, desde 2016, ter prometido  concessão de letra aos professores e não ter cumprido até agora; e ainda por não ter implementado o Plano de Carreira dos Técnicos em Educação”, explicou.

O coordenador geral do Sinte-RN conta que o Governo do Estado até acenou com a possibilidade de atender à pauta apresentada, mas que essa suposta intencionalidade não avançou. Segundo Rômulo, a gravidade se acentuou, a partir do momento em que o Executivo Estadual ainda não regularizou o atraso de pagamentos dos servidores aposentados da Educação, como também não implementou este ano o reajuste do piso nacional do magistério, fixado em 6,81%.

“O novo valor do piso deveria ter começado a ser pago em janeiro, mas o que o Governo do Estado nos propôs foi não reconhecer o retroativo e começar a pagar o piso só a partir de julho, dividindo o reajuste de 6,81%, em cinco parcelas” frisou.

Rômulo completa que a deflagração da greve resulta da própria conduta do Poder Executivo Estadual. “É o Governo do Estado que está nos levando a realizar a greve. A categoria não pode observar inerte o desrespeito às leis”, declarou.  

Em Natal, o sindicato respeitará o prazo legal de 72 horas para dar início à movimentação pela greve.

 

Em contato com o Portal Acontece, a secretaria estadual da educação disse que não foi notificada oficialmente sobre a greve. Afirmou que, tão logo recebam a notificação, será encaminhado um comunicado. No entanto, a titular da pasta, Cláudia Santa Rosa, se pronunciou em rede social, por volta das 14h desta sexta-feira. A publicação consta abaixo:

 

 

 

Faça seu comentário

Canal Acontece RN

Rio Grande do Norte pronto para receber a Campus Party